page2_img

Origem da CIP

A CIP foi criada em um momento, em que a crescente globalização da economia e a interdependência dos mercados financeiros passaram a exigir bases mais rigorosas e sofisticadas para o sistema de pagamentos, inclusive um maior controle de riscos. O Banco de Compensações Internacionais (BIS) solicitam que os países fortaleçam os seus sistemas de pagamento.

Atento às orientações do BIS, em 2000, o Banco Central do Brasil (BACEN) liderou significativa reforma no Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB) através de novo arcabouço regulatório, dando ao mercado financeiro maior segurança na condução das suas operações.

Nessa época, no Brasil, as transações financeiras eram feitas, em sua grande maioria, por meio de cheques, o que aumentava o risco sistêmico para o mercado financeiro. A fim de mudar este cenário, o BACEN, juntamente com os bancos, estruturou a reforma do Sistema de Pagamentos Brasileiros (SPB), cuja implementação, em abril de 2002, aprimorou o Sistema Financeiro Nacional, tornando-o uma referência de estruturação de sistemas de pagamento para o Banco Mundial e Fundo Monetário Internacional (FMI).

Em 10 de abril de 2001, nascia a Clearingban que, meses mais tarde, passou a ser denominada CIP – Câmara Interbancária de Pagamentos, com o objetivo de criar o SITRAF - Sistema de Transferência de Fundos para a compensação de liquidação das TEDs.